Quero Fotografar Meus Filhos »

Hoje completei 31 semanas! Esse diário inicia o lançamento oficial do blog, com mais postagens a caminho, viu? 🙂
Bom, tenho um montão de coisas para contar dessa gravidez, vamos lá!

O Tal do Repouso

Eu completo 40 semanas no dia 14 de julho. O Rico nasceu no primeiro dia da quadragésima semana (minha bolsa estourou às 22hs do último dia da semana 39, vou fazer meu relato de parto aqui depois), mas a sensação que eu tenho (pode ser intuição ou apenas o medo de uma mãe preocupada mesmo) é a de que a Helena vai chegar bem mais cedo que ele. Já ouvi muitos relatos de que o segundo parto costuma acontecer mais cedo e mais rápido do que o primeiro, mas isso não é ciência, não tem nada comprovado. De qualquer forma, eu tenho essa sensação pelo que tem acontecido comigo e com o meu corpo.
Não está sendo uma gravidez igual a primeira. Na primeira gravidez, eu tinha um emprego estável e não me preocupava muito com trabalho e remuneração. Eu também não tinha um filho pequeno, né? Dessa vez, eu preciso administrar uma empresa em crescimento (bem mais rápido que eu imaginava, que bom!), uma casa e um bebê de dois anos que é ligado no 220V. Ricardo entrou na creche em fevereiro e desde então, já emendou uma pneumonia com uma bronquite e isso me deixa desesperada. Com tudo o que tá acontecendo, não tem sido uma gravidez nada relaxante ou tranquila. Eu, que já sou uma pessoa agitada, estou precisando administrar minha ansiedade, meu estresse, tudo junto.
E acho que o corpo tá sentindo isso tudo. Comecei a ter contrações de treinamento beeeem cedo, com 15 semanas. Inicialmente, vieram com cólicas que me deixaram mais atenta. Agora vem sem cólica mesmo, mas vem todos os dias. E na semana passada eu fui na minha obstetra, que me pediu para desacelerar, na medida do possível, porque meu colo do útero abriu um pouquinho e meu tampão tá saindo (o tampão pode se regenerar, mas para isso eu preciso descansar). As ordens foram repouso relativo e voltar a usar a progesterona, que usei no início das contrações com cólica.
Óbvio que vou desacelerar, mas alguém aqui consegue ficar de repouso com um mini-guri de 2 anos pedindo seu colo o tempo todo e uma empresa crescendo? A minha sorte é que meu trabalho permite que eu faça 90% de tudo através de um notebook e eu já deixei tudo programado para esses próximos meses. O negócio agora é desenvolver outros planos que eu quero criar e que podem ser desenvolvidos com o notebook no colo. 😃
Enfim, se você está grávida ou pretende engravidar, eu sugiro a você que realmente considere esses meses como muito especiais e diferentes na sua vida. Eu levei minhas duas gestações na vibe “posso fazer tudo, porque gravidez não é doença”. De fato, não é doença, mas é um período em que a mulher deveria ser mais cuidadosa com o seu físico e principalmente com o seu emocional. Tente meditar, fazer uma atividade física relaxante ou dentro da água, procure se alimentar direito e afaste pessoas e situações estressantes. Palavra de quem odeia a ordem “repouso” e agora tá escutando isso da médica.

Alimentação & Peso

 
Como na primeira gravidez, minha alimentação tá louca. Eu enjoei muuuuito nessa gestação, não conseguia colocar nada na boca e agora que o enjoo passou, a azia e a falta de ar quando eu como me impedem de comer muito em uma refeição só. Estou tentando comer várias vezes ao dia. Mas preciso confessar que só dá vontade de comer coisa doce! Nossa, como tem sido difícil controlar isso. Eu tento evitar comprar coisas bagulhentas para casa, porque senão passo o dia comendo tudo. Daí desconto nas frutas: maçã, banana, manga, uva. Nos períodos de maior ansiedade, o chocolate foi meu amigo, viu, não teve jeito.
Uma coisa que eu tô passando a fazer é sempre ter uma sobremesa/doce saudável em casa. Por exemplo, tô preparando pudim de chia com leite de coco e geleia de cassis sem açúcar (não tem adoçante, ela é adoçada com suco de uva) para comer no café da manhã. Você também pode preparar as famosas energy balls: são bolinhas doces feitas com coco, tâmaras, amêndoas, amendoim… que enganam essa vontade de comer doce. Vamos preparar algumas receitas bem bacanas para vocês por aqui, aguardem! 😃
Eu ganhei uns 3,5 kgs durante esses meses (na verdade, eu perdi 1 kg e depois recuperei, daí ganhei mais 3,5 kgs). Como faltam mais 3 meses (espero) e ela está crescendo super bem, não tenho mais preocupação em engordar mais do que isso. É muito louco perceber como as pessoas não têm tanto conhecimento sobre isso e querem botar minhoca na minha cabeça. Já ouvi mil vezes que eu preciso “comer por duas”. Não, a grávida não precisa comer por duas pessoas. Na verdade, você precisa apenas de 300 calorias extras no primeiro e no segundo trimestre, depois você pode comer mais um pouquinho. E o ideal é engordar muito pouco nos primeiros trimestres, porque no terceiro trimestre seu peso vai aumentar muito mais rápido, com o crescimento exponencial do bebê e a preparação do corpo para o parto.
É bom lembrar que excesso de peso na gravidez pode causar muitos problemas de saúde para a mãe e para o bebê. Eu recomendo a você que procure uma nutricionista para te acompanhar durante todo o processo, especialmente se você tiver alguma situação delicada a observar, como pressão alta ou diabetes gestacional. Eu vou fazer um post especial sobre auto-imagem e peso na gestação, porque eu quero contar um pouco da minha experiência sobre isso e falar da experiência das minhas amigas. Em breve publico tudo por aqui.

Exercícios

 
Levantamento de criança de 13kgs conta como exercício? Se não contar, amiga, tô lascada. Sempre tive uma relação complicada com exercícios e na gravidez, não foi diferente. Eu gostaria de fazer pilates para preparar minha musculatura para o parto, evitar problemas urinários que podem surgir no pós-parto, diastase abdominal… mas o único estúdio que eu curto fica longe da minha casa (vi alguns aqui perto e não gostei de nenhum). Pensei em começar a hidro agora, mas depois do exame de ontem, o repouso é mais necessário que o exercício.

Enxoval & Quarto

 
Bom, achei que eu fosse imune ao surto da mãe de menina, rs. A verdade é que eu nem comprei tanta coisa, mas a minha família… gente, a Helena tem mais vestidos do que eu, um cabideiro cheio de roupas. Eu tenho poucos pares de sapato e a Lelena já tem uns cinco, sendo que só vai andar daqui a um ano! Rsrs! Eu olho pra tudo aquilo e penso “essa guria vai andar de fraldas o tempo todo, como o irmão fez, não vai usar nada disso…”. Mas eu tenho achado muito fofo esse carinho todo da minha mãe, da minha avó com a chegada da primeira neta/bisneta. É importante entender que a gestação é da mãe, mas é um evento da família, da tribo toda. Duro é fazer minhas ascendentes entenderem que minha filha não vai usar rosa o tempo todo, a mãe nunca usa…
Ainda falta comprar algumas coisas para ela, mas são bem poucas. Com esse sinal amarelo da médica, acho que eu vou antecipar a compra de tudo o que falta. Se eu já fui econômica no enxoval do Rico, imaginem agora. Fiquei muito mais prática e hoje já sei o que eu vou usar e o que é desperdício de dindim. O post sobre o enxoval sai nas próximas semanas!
Quanto ao quarto: sempre quis que meus filhos dividissem quarto, por vários motivos. Quando compramos esse apartamento e eu vi que o quarto deles era grande o suficiente para os dois ficarem juntos por lá, já fiquei imaginando como ficaria tudo com os dois lá dentro. Estou feliz e empolgada pra ver tudo pronto. Meus cunhados são arquitetos e estão terminando o projeto, vamos fazer apenas alguns ajustes, mudança de lugar de alguns móveis. Já compramos uma caminha nova para o Rico, uma beliche: ele está dormindo na cama de baixo, por enquanto, mas vai dormir na cama de cima quando a Lelena completar uns 15 meses e puder dormir na caminha. Quanto tudo ficar pronto, eu fotografo e mostro para vocês.

Chá de Bebê?

 
Eu pensei muito se deveria ou não fazer chá. Depois de pensar bastante, decidi fazer algo pequeno, apenas para minhas amigas mais íntimas. Fiquei com peso na consciência de comemorar a chegada do Rico e não comemorar a chegada da minha menina, mas quero fazer algo menor (eu chamei 100 pessoas para o chá de bebê do Ricardo, people… mais gente do que no meu casamento!).
Agora vou ver tudo do chá, que vai acontecer em junho. Uma dupla dinâmica linda e talentosíssima de decoração vai fazer todo o projeto e assessoria, eu não poderia estar em melhores mãos. Estou vendo referências e fechando todos os detalhes (percebam: eu não sou uma mãe que prepara tudo de festas com 1 ano de antecedência), com profissionais super talentosas.

Parto

 
Gente, o parto merece um post à parte. Eu quero tentar o parto natural dessa vez (fiz parto normal na primeira gestação), por algumas razões. Minha médica me apóia na minha decisão e eu me sinto segura com ela e a equipe dela. Eu também quero falar sobre o parto do Rico por aqui, o que eu faria de novo e o que eu não faria.
Bom, esse foi o diário das nossas 30 semanas. Prometo escrever agora toda semana sobre essa preparação para a chegada da minha menina. Espero que curtam, podem comentar aqui que eu respondo, viu? 🙂

Sei que tem gente que não vê problema em comemorar o Dia das Mães. Eu também não vejo, mas eu entendo que a sociedade precisa abraçar outras situações e formas familiares muito diferentes da minha – e que isso é ótimo, porque estamos acolhendo, estamos abraçando o outro, estamos respeitando o diferente e não deixando ninguém excluído. Por isso, por mim haveria o Dia da Família apenas, sem Dia das Mães ou Dia dos Pais, comemorando essa estrutura que é tão, tão importante para a segurança, o amparo e o desenvolvimento dos nossos bebês e crianças. Respeito quem pense diferente (democracia sempre, mulheres!), mas essa é a minha opinião e a opinião editorial desse blog. 🙂

Acho que todo dia é Dia das Mães. Seja ela quem for: sua avó, que criou você enquanto sua mãe trabalhava ou porque sua mãe não estava presente por outros motivos; sua irmã mais velha, que te acolheu quando você precisava; sua madrinha. Talvez seja dia também de abraçar seu pai, se ele te criou sozinho.

Não sei se você tem essa figura materna do seu lado. Não sei quem ela é para você. Por isso escrevo isso. Celebre o amor e preste homenagens a quem quer que seja que tenha essa importância tão especial na sua vida.

Eu mudei quando me tornei mãe. E sigo mudando, porque o processo de lidar com a maternidade e a sua própria identidade é longo. Eu cresci, eu amei mais, eu entreguei meu coração ao mini-ser que saiu de mim. A maternidade é a aventura mais louca e mais gostosa da minha vida. Há dias em que eu penso “Senhor, onde amarrei meu bode?!”, para logo depois olhar para meu filho e para minha filhota na barriga e pensar “Eu não sei mais como viver sem eles”.

Se você também passa por isso, não se julgue, não se afobe. Tome seu tempo, ame-se, cuide de você e dos seus sentimentos. Honre-se como mulher e como mãe, para que você possa dar o melhor de si para o seu filho.

Parabéns a você, que cuida dos seus filhos sozinha, porque o pai das crianças não quis assumir suas responsabilidades como tal, algo ainda tão comum no mundo… Se você muitas vezes não é reconhecida e se sente julgada, receba aqui um abraço apertado. Parabéns a você que administra o cuidado com a casa, mais o cuidado com a cria e ainda resolve voltar a trabalhar ou desenvolver um projeto profissional em casa: você tem minha inteira admiração! Parabéns a você que decidiu criar um filho que não saiu do seu ventre, mas que você ama com toda a sua alma e coração. Parabéns a você que esconde lágrimas e cansaço dos dias difíceis, para que seus pequenos não vejam.

Se tem amor, se tem cuidado, tudo está bem, fique tranquila. Só não se esqueça de que você também precisa se amar e se cuidar, sempre. Você tem muito valor. 🙂

Essa é a minha homenagem de Dia das Mães a todas as maternas que eu conheço. Com Dia especial ou sem Dia especial, essa homenagem deveria ser feita todos os dias. Em nossas mãos, está a oportunidade de permitir e apoiar o desenvolvimento de seres humanos melhores, mais empáticos e caridosos, nessa geração que surge. Que façamos isso sem perder a nossa própria identidade, nossa força e o respeito ao nosso feminino.

Fotos: Laura Oliveira

Gente, que coisa mais linda esse quartinho dos filhos da Youtuber Flavia Calina!

Ela preparou tudo e o resultado ficou incrível! Eu curto quartos mais coloridos, mas esse quarto em tons neutros, privilegiando o cinza e o branco, ficou muito lúdico e delicado, conquistou meu coração.

O tema do quarto é inspirado em nuvens e balões – os adesivos maravilhosos na parede e as prateleiras de nuvem do lado da cama dão todo um toque especial. Eu amei as almofadas de luz e estrelas que estão na caminha da menina Vic (ela comprou no Etsy), combinando com o lençol de estrelinhas pretas, e as almofadas de nuvens charmosíssimas na caminha do babyboy Henrique.

Algumas dicas que você vai conferir no vídeo e que eu acho fundamental para organizar e decorar quartos de criança:

  • Separe um cantinho para os brinquedos: um canto para deixar as bonecas e carrinhos, com ou sem baldes e sacos organizadores. Aqui em casa nós temos baldes de silicone para recolher os brinquedos, mas vou trocar para sacos organizadores de tecidos, combinando com a nova decoração do quarto das crianças (já, já tem post sobre isso aqui!);
  • Tenha um cantinho ou prateleira de leitura, ao alcance das mãos das crianças, para estimular o hábito de leitura desde cedo;
  • Caixinhas organizadoras dão um jeito para guardar bijouterias, lacinhos, enfim, miudezas das meninas.

Vejam mais dicas e o quarto todo aqui no vídeo da Flávia: